A transformação Digital chegou, como essa transformação está acontecendo no Mercado Imobiliário?

Antes de mais nada é importante saber de onde estamos vindo, para depois saber para onde vamos, pois bem, vou expor algumas práticas ancestrais do mercado imobiliário.

Conversei e convivi com muitos corretores, e sempre na hora do cafezinho trocamos experiências e ouvia com muita frequência coisas do tipo, “na minha época pra encontrar um imóvel você tinha que pegar a lista telefônica”, “na minha época eu tinha que bater de porta em porta para encontrar um imóvel a venda”, “na minha época eu tirava 2 ou 3 dias na semana pra colocar placa nos imóveis”, “na minha época um contrato demorava meses para ser assinado, era tanta papelada”(não que hoje seja pouco papel né pessoal?!) “na minha época eu tinha que saber de cabeça todos os imóveis a venda da imobiliária, ou tinha uma lista em um caderno com todos os descritivos” ou então “Foto? hahahaha tá brincando né minha filha”.

Hoje, apesar de ainda estarmos atrasados, já é bem diferente não é mesmo?! Mas afinal o que é transformação digital?

A transformação digital/tecnológica pode ser definida como um fenômeno que incorpora o uso da tecnologia digital às soluções de problemas tradicionais. Para uma empresa é usar a tecnologia para melhorar seu desempenho, conquistar market share e garantir resultados melhores. É uma mudança estrutural nas organizações de forma geral dando um papel essencial para a tecnologia.

Essa transformação tecnológica/digital tem acontecido já há algum tempo em nossas vidas, na indústria, depois em utilidades do nosso cotidiano como Whatsapp, Streamings como a Netflix, Amazon Prime, Spotify, Deezer, e se alastrou de forma muito rápida para a maioria dos setores, aplicativos para delivery, instituições financeiras exclusivamente digitais, as Fintechs, que estão fazendo com que os bancos tradicionais mudem seus processos internos e se adaptem a essa nova era, e tantos outros exemplos.


O mercado imobiliário há pouco tempo é assim apesar de contarmos com toda a tecnologia em, softwares de CRM (Customer Relationship Management), portais de divulgação, Tour Virtual 3D, isso é somente a ponta do Iceberg, pois mesmo com essas ferramentas, muitas vezes as
informações não estão completas e os processos de forma geral ainda são jurássicos, e extremamente burocráticos. Claro! Não estamos comprando uma calça jeans na internet, mas é possível sim melhorar tudo, nós da Realsmart, fazemos isso! Vem com a gente!)

Mas, deveríamos ter sido um dos primeiros, pois junto com toda essa transformação tecnológica e digital, o mercado e o consumidor também se transformaram. Hoje, tudo literalmente está “a um clique” de distância.
Dados da empresa alemã, Statista, mostram que em 2017 o número de internautas era de 3,6 bilhões de pessoas, que corresponde a 47% da população mundial (É muita gente né?!). Em 2019 essa porcentagem já passou dos 50% e sobe exponencialmente!

Hoje, segundo pesquisas da empresa norte americana, Sirius Decisions, 67% da jornada de qualquer consumidor, desde roupas até imóveis, acontece no meio digital, isso quer dizer que, sua estratégia no meio digital é fundamental!! Porém, no Brasil, principalmente no setor de vendas, estamos engatinhando. O lado bom nisso, que é um BAITA lado bom, é que tem MUITA COISA pra explorar, podemos ser os seguidores rápidos de empresas estrangeiras, o que é ótimo.

O comportamento do cliente mudou muito, em consequência da transformação digital/tecnológica e da rapidez da informação que ele encontra nos demais setores e até mesmo nos portais de divulgação e mídias sociais, mas quando chega no atendimento ou na negociação ainda temos o tiranossauro rex presente.


Até 2020, segundo a CEI Survey, a experiência do cliente superará o preço e o produto como o diferenciador-chave da marca, 86% dos compradores pagarão mais para terem uma melhor experiência. PIMBAAA! É isso que devemos oferecer no Mercado Imobiliário! Uma experiência!

Como? Não somente digitalizando e automatizando a divulgação do imóvel mas sim TODO o processo da venda, tornando o mercado mais dinâmico, eficiente e inteligente. (Por sinal essa é a essência da nossa empresa, a realsmart).

Desburocratizar e automatizar os processos! Algumas empresas aqui no Brasil, já estão fazendo isso maravilhosamente bem no setor de locação, como a Loft, a Housi, a Quinto Andar, cases de sucesso para que o setor de vendas se inspire, e a realsmart busca fazer isso!

Segundo o IDC, em 2017, 70% das empresas listadas na Fortune 500, montaram equipes dedicadas à transformação digital. Tá vendo? E aí vai ficar parado?!

Dados da Coleman Parkes Research, concluíram que das empresas que passaram pela transformação digital, 37% tiveram crescimento de receita advinda de novos negócios, 76% relataram melhora na capacidade de alcance ao cliente e 69% relataram melhora na sua diferenciação competitiva!

No último ano, em 2019, uma infinidade de Construtechs e Proptechs surgiram e isso nos anima, é sinal de que não somente nós, da Realsmart, estamos animados com essa transformação digital e que estamos caminhando para proporcionar essa experiência para o cliente, e saibam que, o Brasil, é o segundo no ranking mundial em potencial de transformação digital!!!!

Vamos juntos transformar um dos setores fundamentais para a economia brasileira?!

Nos nossos próximos encontros vamos falar muito sobre Incorporação, Gestão Comercial, Tecnologia e Experiência! Fique ligado e se tiver alguma dúvida envia pra nós!

Nos nossos próximos encontros vamos falar muito sobre Incorporação, Gestão Comercial, Tecnologia e Experiência!

Fique ligado e se tiver alguma dúvida envia pra nós! https://realsmart.com.br

O que é Gestão Comercial e como ela impacta no desempenho de uma Incorporadora?

A Gestão Comercial é o coração de uma Incorporadora e de qualquer negócio, pois sem ou com a má gestão dessa área muitos negócios são prejudicados e consequentemente seus resultados também.

A gestão comercial imobiliária é um conjunto de práticas, técnicas e ferramentas que são utilizadas para gerar resultado para uma empresa de forma sustentável, e esse sustentável se refere a ela ter uma vida financeira saudável, com Lucratividade e Rentabilidade, e se for de forma sustentável com consciência ambiental, melhor ainda!

Ela engloba o Marketing e Vendas, duas áreas fundamentais e que hoje não podem ser tratadas de forma individual, pois ambas se completam. Que amor né? Mas na prática não é tão fácil assim, elas são como irmãos, que se amam e se completam e são muito fortes juntos, mas sempre colocam a culpa um no outro quando algo de errado acontece, e então ambos acabam prejudicados. Analogias à parte, o Gestor Comercial deve ter a habilidade de gerenciar esses conflitos mostrando como as duas áreas podem maximizar o resultado geral e crescer juntas!

De maneira didática e muito simples o esquema abaixo demonstra como é o ciclo da Gestão Comercial no que diz respeito a Marketing e Vendas.

Easy like that!*
*Meu professor de contabilidade da Pós falava isso a cada 5 minutos, sente a ironia?!

Mas vamos lá, por trás desse ciclo, como vocês perceberam existem algumas palavras em negrito e que são processos fundamentais, vou explicar o que são cada um deles;


Estratégia de produto:
1.1 Quando já se tem o terreno: Realizamos uma pesquisa de volumetria junto ao arquiteto, para alinhar tipologia, conceito e perfil de produto junto com os líderes da Incorporadora e a área comercial, após essa fase alinhamos qual a estratégia comercial que atingirá nosso público alvo.


1.2 Quando já se tem o projeto e/ou produto: Normalmente acontece quando é feita uma pesquisa de demanda da região e o produto nasce dessa demanda, em seguida alinhamos a estratégia comercial para atingir o público alvo.


Essa fase é muito, muito, muito, muito importante para garantir o sucesso do empreendimento, pois se o produto certo está na localização errada a chance de a velocidade de venda e os resultados é enorme!


Estratégia Online e Offline: De forma bem didática, online diz respeito ao mundo digital, e a estratégia offline são aquelas tradicionais como panfletagem, rádio, outdoors. Cada empreendimento tem uma forma diferente de estratégia, não existe uma receita de bolo. Alguns vão exigir uma estratégia majoritariamente online, outros offline.


Público Alvo: Trata-se das pessoas que tem um perfil semelhante cujo empreendimento a ser lançado atenderá suas necessidades e desejos.


Lead: É aquele cadastro que você possivelmente já fez nas mídias sociais, preenchendo seu nome, telefone e e-mail, quando viu um anúncio de algum produto ou serviço que te interessasse. Ele só se torna cliente quando existe um interesse real de compra e um atendimento em andamento. É por isso que qualificamos o Lead, para saber se ele realmente pode vir a se tornar um cliente ou se podemos direcionar para outro produto, ou ainda, finalizar e permanecer na nossa base de dados para pesquisa futura de demanda.


Atendimento: Uma das senão a mais importante execução da área comercial. Nela o profissional deve ser altamente treinado, dominar o produto (até porque hoje o cliente já chega sabendo mais do que nós, não é mesmo?) e ter técnicas PNL (Programação Neurolinguística) para identificar a necessidade e desejo do cliente e saber como conduzir da melhor forma o atendimento e a negociação.


Base de Dados: É fundamental ter uma base de dados, um BI (Business Intelligence ou Inteligência de Negócios) para que todos os atendimentos realizados no CRM (Customer Relationship Management ou em português Gestão de Relacionamento com o Cliente) sejam analisados e esses dados possam ser utilizados na estratégia no mês seguinte, semestre seguinte ou até no próximo produto.


Demanda: Em economia, demanda ou procura é a quantidade de um bem ou serviço que os consumidores desejam adquirir por um preço definido em um dado mercado, durante um dado período de tempo. É fundamental saber a demanda de onde irá lançar o produto, como dito no “item 1” toda a estratégia e criação do produto é criada a partir disso, ou pelo menos deveria ser, risos.

Mesmo tendo a gestão plena de tudo isso uma variável que não podemos controlar é o mercado, que é afetado pela economia, pela política e pela concorrência, é importante gerar cenários e planos de contingência para situações que possam prejudicar a velocidade de venda do produto e consequentemente seus resultados.

Por fim, a gestão comercial é fundamental para os Incorporadores, podendo impactar negativamente com a inexistência ou má gestão dela e positivamente (Vem com a gente!!) desburocratizando e potencializando suas chances de Resultado.

“Satisfazer os clientes não é mais o suficiente: é preciso encantá-los.”
Philip Kotler, professor e especialista em marketing.

“Encante sua audiência com um conteúdo que proporcione experiências.”
Robert Rose, diretor de estratégia no Content Marketing Institute.

E o que a RealSmart tem a ver com isso?! Fiquem ligados no próximo Blog para descobrir Hihihihi

Nos nossos próximos encontros vamos falar muito sobre Incorporação, Gestão Comercial, Tecnologia e Experiência! Fique ligado e se tiver alguma dúvida envia pra nós! 😊
https://realsmart.com.br/